Goiânia, 24 de abril de 2014
Busca

Voltar
Comportamento
Beijar faz bem para a saúde e para o coração

O contato entre dois lábios é uma forma de demonstrar afeto, estimular músculos faciais e avaliar o companheiro

04/06/2009 11:56:35

Foto: Reprodução
Erica Neves – 6º período
                
            
                      
“Quero um beijo sem fim,
Que dure a vida inteira e aplaque o meu desejo!
Ferve-me o sangue. Acalma-o com teu beijo,
Beija-me assim!” (Castro Álvares)
 
 
 
O beijo nos lábios é uma das formas mais íntimas de demonstrar paixão, amor, afeto,  carinho e desejo sexual. Cazuza dizia que beijar é como entrar em uma pessoa pela primeira vez. Tom Jobim, Olavo Bilac, Cartola, Carlos Drummond de Andrade e vários outros poetas aclamados escreveram sobre esse ato que na cultura ocidental se tornou o símbolo máximo da paixão, a cena mais esperada nos filmes românticos.
     
Romances podem começar ou terminar por causa de um beijo, ou, pela falta dele. A estudante de direito da Católica, *Cecília, afirma que já se desencantou com alguns rapazes que era afim porque beijavam mal. O contrário também aconteceu após beijar um rapaz por quem não era tão interessada e se apaixonou. “O beijo foi maravilhoso! Nossa, tinha tudo a ver”.
  
"Algumas pessoas se desencantam com o parceiro porque o beijo não “encaixou”, afirma Cecília, que ressalta que nenhum namoro seu terminou por causa disso, já que ela não iria namorar alguém que beijasse mal.
     
Mas, o que é beijar mal? Na opinião de Cecília tem que haver química, “Você tem que dar certo com a pessoa para o relacionamento fluir.” Segundo matéria publicada no site do Yahoo, a antropóloga norte-americana Helen Fisher afirma que “um beijo é a avaliação do companheiro” e explica que há diferentes estilos de atrações amorosas que dependem da composição do coquetel de substâncias cerebrais (neurotransmissores) e hormonais de cada pessoa.
      
Estudos recentes mostram ainda que beijar não é bom só para o coração, faz bem para toda a saúde.  Uma das vihetas do canal National Geografic tem a seguinte narração: "um beijo apaixonado queima aproximadamente 6,4 calorias. Usa 34 músculos faciais. Faz o seu coração bater mais rápido e a sua respiração ficar mais profunda. Dilata suas pupilas. São trocadas milhões de bactérias e saliva suficiente para prevenir as cáries. Um beijo diminui a tensão, atrasa o envelhecimento e melhora a sua auto-estima. É bom para você. Por isso, beije de novo!"
    
A ciência já comprovou os benefícios do beijo, a psicologia também. Mas é preciso tomar cuidado para não fazer dele um ato mecânico que só serve para satisfazer um impulso sexual momentâneo. Beijar não só ativa os músculos e libera hormônios, mas afeta diretamente nossos sentimentos. Tirar o romantismo do ato de beijar mecaniza algo que foi feito para ser apreciado com todos os sentidos e ainda se corre o risco de magoar a outra pessoa. Por isso, banalizar o beijo é como coisificar o ser humano, fazendo dele um mero objeto sexual.
 
“Deixai-os se beijarem à vontade, porque o que em seus beijos irrita os burgueses moralizantes é justamente essa liberdade, essa beleza, essa poesia, esse vôo que há num beijo de amor.” (Vinícius de Moraes)
         
             
*Os nomes foram trocados a pedido das entrevistadas.
 
Leia mais:
O primeiro beijo
           
              
             
                
Copyrights © 2014 - Universidade Católica de Goiás - Todos direitos reservados.